Afinal, no Júri Vale Tudo em Defesa do Acusado?

  • 3 de Agosto de 2022

Está incutido no imaginário popular que no Júri tudo vale, desde a apresentação de música, poesia, citações literárias aos jurados etc. Sim, isso é verdade, mas Tribunal do Júri não é teatro e os jurados não são ingênuos. Muitas das vezes o emprego de técnicas exóticas, como virar mortais em sessão de julgamento – sim, isso já aconteceu – ou exagerar na interpretação dramática, pode fazer com que o tribuno perca o que lhe há de mais caro, a atenção do Conselho de Sentença.

Assim como não é teatro, o Júri não pode e não deve ser palco de vaidades, pois ali se discute casos penais graves e que possuem como destinatários de sua atividade a comunidade que foi abalada pelo crime e o acusado que anseia pela solução de seu caso.

Portanto, expor em julgamento os casos com simplicidade, sem perder a técnica jurídica, de forma respeitosa e didática, sem sombra de dúvida a estratégia mais eficaz para manter os jurados cativos aos argumentos do orador e, assim, potencializar as chances de obtenção de bons resultados quando for proferido o veredito.

Direito Criminal.
Por: Ronaldo da Silva OAB/SC 47.258